10 tendências mais quentes para e-commerce em 2020

 

Para a primeira postagem do nosso blog em 2020 não era nossa intenção apenas desejar a todos um ano novo de muito sucesso e repleto de realizações. Claro que é esse o nosso desejo mas, em vez de ficarmos apenas nos votos, reunimos no texto abaixo a visão dos nossos especialistas sobre quais serão as práticas que farão diferença no e-commerce para esse ano.

1. O ano do Social Commerce.

Se você ainda não se preparou para o Instagram Shopping ou ainda não ouviu falar do Checkout on Instagram, pare tudo e preste atenção! Enquanto o Shopping redireciona o usuário para um website, no Checkout ele pode fazer a compra sem sair do app. Ainda, poderemos ver o início do funcionamento do Facebook Pay e do WhatsApp Pay, que já estão sendo testados na Índia e têm tudo para bombar no Brasil;

2. A batalha pela sua voz.

Com a entrada das gigantes Amazon, Google e Apple no mercado de assistentes domésticos inteligentes e reconhecimento de voz – estamos falando do Echo+Alexa, Google Home+Google Assistant e Homepod+Siri, respectivamente, a tendência é que estes dispositivos se popularizem e se estabeleça uma plataforma de vendas e relacionamento através desse canal. Hoje o uso desses dispositivos está praticamente restrito à música (70%), informações sobre o tempo (64%) e uso de alarmes e lembretes (46%), mas uma infinidade de outros serviços estão sendo incorporados e usados como, por exemplo, pesquisa por hotéis (16%), telefonia (36%), compras (30%) e entrega de refeições (13%);

3. Integração entre o físico e o virtual.

Este ano tem tudo para vermos um aumento das pop-up stores, parcerias entre marcas, ações co-patrocinadas e um crescimento dos shopping centers, não com lojas tradicionais, mas com espaços de experiência das marcas, inclusive com uso de realidade virtual. Além disso, considerando o fato de que os motivos mais comuns relatado para o abandono dos carrinhos de compra online serem dúvidas ou problemas com a entrega (custo de frete, poucas opções e longos prazos de entrega), uma forte tendência será o BOPS, acrônimo para Buy Online, Pick up in Store (compre online e retire na loja);

4. Inteligência Artificial e Machine Learning.

Se já não foi em 2019, será o padrão em 2020. Tudo, desde estratégias dinâmicas de preço, automatização e personalização de publicidade e ofertas online, operação de chatbots para vendas e relacionamento com o consumidor, tudo passa por uma base bem estruturada cujos pilares são Inteligência Artificial e Machine Learning;

5. Progressive web apps (PWA).

Cada vez mais os consumidores esperam uma experiência similar em qualquer canal de relacionamento com suas marcas preferidas. O Twitter e o Gmail são ótimos exemplos: são os mesmos, tanto em design quanto em utilidade, em seus sites web e seus aplicativos mobile. Mas o desenvolvimento para essas duas plataformas é muito diferente e requer ajustes para a eliminação de diversos problemas, desde limitações de banda ou de dados até a ausência completa de conectividade. Com os PWA será possível tirar o máximo de uma experiência imersiva, rápida e confiável em qualquer canal;

6. Senhor Conteúdo.

É claro que as pessoas compram online. Mas antes de comprar elas usam a Internet em busca de conteúdo: qual é a melhor solução para o seu problema, que produto atende/funciona melhor, como se posicionam as marcas que lhes interessa, quanto custam os produtos similares e substitutos etc. Encaixar a sua oferta nesse fluxo intenso requer muita dedicação e, por isso, o conteúdo que você produz não deve ficar restrito a um único canal nem a um único formato. Uma forte tendência para 2020 é o Redirecionamento de Conteúdo. Não se trata aqui de copiar um mesmo conteúdo em vários canais, mas dar novas caras a materiais que são importantes para esclarecer sobre sua marca, seus produtos, suas ofertas e até as formas de utilização de seus produtos e serviços. Esta tendência está fortemente ligada a necessidade de se ter uma mensagem única durante toda a jornada de compra multiplataforma. Um vídeo sobre um produto pode virar um texto para um blog, FAQs para o website, um e-book ou um infográfico ou até um outro vídeo, incluindo cenas dos bastidores, erros de gravação etc.

7. Fast Fashion em todo lugar.

Independente de que indústria sua marca atua, você deveria estar de olho em como a operação das empresas de fast fashion podem te ajudar. Uma forte tendência para 2020 é a implementação de processos que aumentem a agilidade e a velocidade da operação, o uso de influenciadores, as plataformas de social commerce (citadas acima), tudo isso com uma grande preocupação com sustentabilidade. Ideias para se criar mais usando menos já não são suficientes. A Geração Z vem impondo que suas marcas preferidas façam isso e não deixem de lado suas preocupações com a sustentabilidade. Por falar em Geração Z…;

8. Brechós em todo lugar.

A oferta de produtos usados e de segunda mão vem crescendo enormemente. De fato, a inclusão da Geração Z no mercado consumidor mudou o perfil de alguns setores e introduziu a preocupação com a sustentabilidade e com o futuro do nosso planeta. Nessa linha, esse pessoal não vê com bons olhos o consumismo, restringindo-se a ter apenas o necessário e, de preferência, causando menos impacto ambiental e social possível. Por isso, a procura por artigos usados vem crescendo e, com ele, outro tipo de serviço, aqueles por assinatura.

9. Assinantes de tudo.

Os serviços por assinatura são uma tendência crescente não só para 2020 mas também para toda a próxima década. Já vemos pelo Brasil serviços de assinaturas de flores, bicicletas, escritórios e vários outros produtos e serviços. A oferta por assinatura faz muito sentido e, se você ainda não pensou em oferecer o seu produto ou serviço com esse tipo de abordagem, sugerimos que pense nisso. Serviços de assinatura são formas de se economizar seu tempo, seu dinheiro e outros recursos gerando satisfação aos seus clientes de forma organizada e com ótimas oportunidades de relacionamento e escala.

Para completar nossas 10 tendências para 2020, listamos abaixo, num último tópico, as características que seu e-commerce deve ter e oportunidades para você não deixar escapar no próximo ano.

Seja pessoal: esteja aberto para seus clientes, mantenha canais acessíveis para o relacionamento e feedback.

Seja flexível: esteja preparado para aceitar as escolhas dos seus clientes. Se ele quer pagar a prazo, OK. No débito? Ótimo! Via PayPal? Por que não? Esteja ciente que há várias formas de relacionamento e escolha as que seus clientes usam.

Seja interativo: esteja pronto para oferecer ao seu cliente a oportunidade de ver o produto no conforto de sua casa. Seja em 3D ou realidade virtual ou realidade aumentada, há várias formas de se certificar que o consumidor tenha tudo o que precisa para decidir comprar o seu produto.

Seja fornecedor: não tenha em mente apenas o consumidor final como cliente, há enormes oportunidades no mercado B2B nos quais o e-commerce pode ser uma ótima solução.

Seja automatizado: não hesite em automatizar seus processos, procure um bom parceiro de inteligência artificial e use o machine learning a seu favor.

Seja internacional: a Internet derrubou barreiras, há enormes oportunidades para prestar seus serviços ou entregar seus produtos em outros países.

Seja voz e vídeo utilize as plataformas de vídeo intensamente assim como as novas plataformas de voz. Como citado acima, essas serão o futuro.

“É muito importante estar atento à essas tendências, pois o mundo digital muda muito rápido e o consumidor está cada vez mais no comando das marcas”, diz o Rafael Pimentel, Account Strategy Manager da Criteo. “A Geração Z veio para mostrar que comodidade deve estar aliada a causa e propósito e que esse posicionamento não pode ser apenas uma campanha de marketing.”

Se você chegou até aqui, temos certeza de que tem todas as ferramentas para alcançar o sucesso que te desejamos para 2020. Se quiser saber mais sobre como podemos ajudar o seu 2020 a ser realmente um sucesso, entre em contato com a gente. Teremos o maior prazer em transformar seu negócio!

Manoella Fidalgo

Manoella mudou para São Paulo para fazer uma pós-graduação e nunca mais saiu. Além de escrever para o blog da Criteo Brasil, ela é responsável pelo Marketing da Criteo na América Latina. Gosta de pipoca, música e não come chocolate. Não necessariamente nessa ordem.