Setembro 17, 2018
Compartilhar

Como otimizar seus anúncios em vídeo para YouTube, Facebook e Twitter

 

No mundo todo os profissionais de marketing já sabem: anúncios em vídeo, segmentados e personalizados, são cada vez mais importantes para impulsionar campanhas. Nos EUA, o investimento nessa área aumentou de US$ 7,7 bilhões em 2015 para US$ 13,5 bilhões em 2017. É verdade que esse formato normalmente custa mais caro do que os tradicionais modelos de publicidade. No entanto, as empresas já percebem que anúncios em vídeo podem incrementar o ROI.

De acordo com o Aberdeen Group, os profissionais de vídeo marketing veem 66% a mais de leads qualificados por ano, além de um aumento de 54% no reconhecimento da marca. E 76% das empresas que utilizaram vídeos em suas campanhas disseram que eles ajudaram a aumentar as vendas. Com gigantes como o Facebook lançando um novo formato de vídeo para gerar vendas no varejo e profissionais de marketing prevendo o domínio dos vídeos curtos, está claro que o vídeo vem se tornando uma ferramenta vital para garantir campanhas de sucesso.

Veja como otimizar anúncios em vídeo no Facebook, no YouTube e no Twitter:

 

Dicas para otimização de vídeos no Facebook

Quase um quinto (19%) do tempo gasto em dispositivos mobile acontece no Facebook. São mais de oito bilhões de visualizações de vídeo diárias, para um total em torno de 100 milhões de horas.

Veja o que funciona quando você está criando conteúdo em vídeo:

 

1. Prepare sua campanha para receber acessos de dispositivos mobile (mobile first).

As pessoas têm uma probabilidade 30% maior de assistir a vídeos no smartphone do que no desktop. E, como a maioria usa o telefone na vertical, o formato vertical é o mais adequado, nas seguintes proporções: 4:5, 2:3 e 9:16.

Dica valiosa: Otimize suas campanhas tanto no Facebook quanto no Instagram com vídeos verticais de 4:5.

 

2. Faça vídeos curtos e coloque o melhor conteúdo primeiro.

As pessoas passam em média 1,7 segundo visualizando qualquer tipo de conteúdo em seus dispositivos mobile e apenas um pouco mais de tempo (2,5 segundos) no desktop. Portanto, seja breve e eficaz. Vídeos mobile funcionam melhor quando têm 15 segundos ou menos e quando sua marca ou seu produto é apresentado logo de início.

 

3. Adicione legendas.

Permita que o usuário escolha se quer assistir ao vídeo com ou sem áudio. Até 85% das visualizações de vídeo ocorrem com o áudio desativado. Por isso, se houver diálogo ou narração nos seus vídeos, insira legendas para que a audiência possa assisti-los sem áudio. E não se preocupe: não é porque sua audiência assiste aos seus vídeos com o áudio desativado que ela está menos engajada com a sua marca. Estudos realizados pela MEC North America mostraram que vídeos publicitários assistidos em silêncio não afetaram KPIs como brand lift ou intenção de compra. O importante é que o visual seja engajador logo de cara.

 

4. Defina seu público-alvo.

Com mais de 1,49 bilhão de usuários ativos todos os meses no Facebook, você deve ser específico quanto à sua audiência. O Facebook permite segmentar por localização, faixa etária, sexo, idioma, setor, nível educacional e escola frequentada.

Pense no seu público-alvo para cada vídeo e crie perfis específicos. Depois de considerar todos os detalhes, você pode iniciar a segmentação.

 

5. Use vídeos nativos: carregue-os diretamente para o Facebook

Um vídeo nativo é aquele que é carregado diretamente para o Facebook, em vez de ser compartilhado do YouTube, do Vimeo ou de alguma outra plataforma externa de streaming. Os números mostram que o Facebook favorece os vídeos nativos: em comparação com os vídeos do YouTube, os vídeos nativos do Facebook geram até 530% mais comentários e uma taxa de compartilhamento, em média, 477% maior.

 

Dicas para otimização de vídeos no YouTube

Com mais de um bilhão de usuários, o YouTube alcança a faixa etária entre 18 e 49 anos de idade mais do que qualquer outra mídia digital ou rede de TV a cabo — considerando-se apenas a plataforma mobile. Segundo o Google, os anúncios no YouTube têm potencial para “aumentar em 42% o alcance do seu vídeo entre os millennials, multiplicar o engajamento 10x e encorajar visualizações de vídeos anteriores em 500%”.

Digamos que você tenha iniciado uma campanha e deseje ver se a performance dos seus anúncios está de acordo com as metas estabelecidas. Veja como ter certeza de que seus anúncios em vídeo estão otimizados para máxima performance:

 

1. Aguarde duas semanas

Depois de você iniciar a campanha em vídeo, o site do YouTube recomenda aguardar pelo menos duas semanas para fazer otimizações. Isso permite que você tenha em mãos resultados suficientes que servirão de base para os ajustes necessários. Você deve se familiarizar com duas importantes métricas:

  • Taxa de visualização – o número de pessoas que assistiram ao seu anúncio por pelo menos 30 segundos ou até o final (o que ocorrer primeiro). É o número de engajamentos que seu anúncio em vídeo recebe dividido pelo número de vezes que ele é exibido (impressões).
  • CPV (Custo por Visualização) médio – o valor médio que você paga por cada visualização.

 

2. Otimize a taxa de visualização

A taxa de visualização é essencial para entender a performance do anúncio. Uma taxa de visualização maior significa que o anúncio vem mantendo seus clientes engajados. Para otimizar essa métrica, você pode fazer pequenas mudanças:

  • Desperte o interesse pelo seu vídeo. Escolha a imagem da sua miniatura com todo o cuidado. A miniatura de vídeo é a primeira coisa que o usuário vê ao navegar em uma página. Por isso, ela deve destacar da melhor forma o conteúdo.
  • Faça vídeos curtos. Assim como os vídeos do Facebook, vídeos mais curtos são mais eficazes.
  • Trabalhe nos títulos, mensagens finais e CTAs (call-to-actions). Pequenos detalhes como esses podem mudar a forma como determinado usuário interage com seu vídeo e incrementar sua taxa de visualização.
  • Evite a fadiga do anúncio. Não deixe que as pessoas se cansem do seu anúncio porque ele é mostrado excessivamente. Considere ter pelo menos duas ou três versões do anúncio para manter o engajamento e testar qual versão funciona melhor.

 

3. Refine seu público-alvo

Se a meta é gerar conversões, e não só o reconhecimento da marca, considere estreitar sua segmentação. Isso aumenta as chances de o anúncio ser visto pelas pessoas que têm maior probabilidade de engajamento e conversão. No YouTube, é possível segmentar audiências de várias maneiras para estreitar quem verá o anúncio. Confira a seguir algumas formas de fazer isso:

  • Grupos demográficos: segmente por idade, sexo e status parental.
  • Interesses: alcance pessoas interessadas em determinados tópicos, mesmo quando elas visitam páginas sobre outros tópicos.
    • Afinidade: alcance pessoas que já mostraram forte interesse em tópicos relevantes para o seu produto.
    • Intenção e eventos especiais: encontre clientes que estão pesquisando produtos e ativamente considerando comprar um serviço ou produto como o seu.
  • Tópicos: segmente seus anúncios em vídeo para tópicos específicos no YouTube e na web. A segmentação por tópico ajuda você a alcançar uma grande variedade de vídeos, canais e sites. Por exemplo, se você segmentar “bolsas”, seu anúncio será mostrado para pessoas que assistem a vídeos sobre bolsas.
  • Remarketing: alcance audiências que já interagiram com seus vídeos, anúncios TrueView ou com seu canal no YouTube.
  • Posicionamentos: segmente sites e canais específicos, ou encontre posicionamentos dentro deles.
  • Palavras-chave: dependendo do formato do seu anúncio em vídeo, você poderá segmentar com base em palavras ou frases (palavras-chave), relacionadas a um vídeo ou canal no YouTube. No entanto, tome cuidado ao fazer isso, pois a segmentação por palavra-chave pode diminuir a frequência com seu anúncio é mostrado.

 

4. Otimize todos os detalhes

Seu anúncio deve ter a cara da sua marca. Ele faz parte de toda uma campanha, que envolve a landing page do seu canal no YouTube, seu site e outro conteúdo. Certifique-se de aliar branding e performance para que a audiência saiba exatamente de que marca estamos falando.

CTAs claros no meio e no final do anúncio devem levar a audiência até o seu site para comprar, ou para seu canal no YouTube, onde o usuário terá a oportunidade de se engajar com conteúdo adicional.

 

Dicas para otimização de vídeos no Twitter

As visualizações de vídeo no Twitter aumentaram 220x desde o ano passado. Além disso, os vídeos no Twitter têm uma probabilidade 6x maior de serem retweetados (ou retuítados) do que as fotos. E 93% das visualizações de vídeo acontecem em dispositivos mobile.

Os anúncios em vídeo no Twitter funcionam, especialmente, para a audiência do próprio Twitter: 53% são seus usuários desde o início, 64% têm maior probabilidade de influenciar a compra e 80% são millennials com alto padrão de vida.

Veja como aproveitar todo o potencial dos seus anúncios em vídeo no Twitter:

 

1. Faça vídeos curtos e nativos

Os vídeos no Twitter devem ter, no máximo, 2 minutos e 20 segundos, a não ser em casos especiais mediante solicitação. E, tal como no Facebook, os vídeos no Twitter são mais eficazes e recebem mais engajamentos quando são carregados diretamente para ele. Dados do Twitter mostram que vídeos nativos recebem 2,5x mais respostas, 2,8x mais retweets (retuítes) e 1,9x mais curtidas do que vídeos vinculados de outras plataformas. Por fim, assegure-se de que seus vídeos tenham taxas de proporção de 3:1 ou 1:3 e dimensões entre 32×32 e 1280×1024.

 

2. Segmente certo…

Tal como no YouTube e no Facebook, o Twitter oferece opções avançadas de segmentação. É possível segmentar, por exemplo, por interesses, palavras-chave e dispositivo. E também por seguidor, incluindo de 1 a 25 @nomes de usuário específicos, para ter certeza de que está se conectando à audiência certa. É possível até mesmo fazer segmentação com base no comportamento online e offline.

 

3. …Mas não segmente excessivamente e veicule várias campanhas

Quanto a essa dica, observe o seguinte: embora o Twitter recomende sempre segmentar por localização e dispositivo, a empresa também sugere usar apenas um tipo de segmentação de audiência com cada campanha e veicular várias campanhas, pois isso permite rastrear mais facilmente quais campanhas estão funcionando para determinada audiência e otimizar o que for necessário. Se uma campanha não apresentar os resultados esperados, remova grupos de seguidores, tweets (tuítes) e palavras-chave e substitua-os por outros, até encontrar o que funciona melhor.

 

Como mudar anúncios em tempo real

Como profissional de vídeo marketing, o video retargeting é uma estratégia de marketing digital que você não pode ignorar. Ele é crucial para reengajar consumidores. E, para gerar conversões e aumentar o engajamento, você precisa estar onde seus consumidores estão: no smartphone, no tablet ou no desktop. E em todos os canais: Facebook, YouTube e Twitter.

Com essas três redes sociais, é possível criar um vídeo e implantá-lo e otimizá-lo para todos os canais para máximo alcance. O vídeo engaja audiências. E, se o conteúdo for personalizado, seu anúncio poderá ter forte impacto sobre o reconhecimento da marca, decisões de compra e pontos de contato cross-channel.

Mas, até hoje, não havia como fazer retargeting de toda essa audiência com um formato de vídeo engajador, com personalização e recomendações de produtos relevantes. O Criteo Dynamic Retargeting veio exatamente para isso. Nossa ferramenta mostra anúncios em vídeo para seu público-alvo com base no comportamento anterior de cada consumidor e nos seus dados de intenção de compra.

Para saber mais sobre como o video retargeting funciona, leia nosso post aqui e baixe nosso Guia de Retargeting 201!