Fevereiro 26, 2019
Compartilhar

Meet the team: Francisco Sanches — designer

 

Francisco Sanches traz para a Criteo toda a sua paixão pelo design e pelos dados. Nascido em São Paulo, Francisco tem uma bagagem profissional e pessoal eclética que o torna uma pessoa extremamente interessante de trabalhar. Na Criteo, ele desenvolve seu trabalho de forma multifuncional para introduzir inovação e criar anúncios originais e cativantes para nossos parceiros.

Conversamos com Francisco para saber mais sobre seu trabalho, seus momentos favoritos na Criteo e sua vida fora do escritório.

Vamos começar do começo: de onde você é? 

Fui criado e vivi a maior parte da minha vida em São Paulo, com duas pequenas pausas para viver na Espanha e em Ruanda.

Quando criança, meu sonho era ser piloto de avião, mas, à medida que fui crescendo, descobri que gostava mesmo era de desenhar aviões e carros. Estudei na Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo, onde fui introduzido ao design gráfico, pelo qual me apaixonei. Me encontrei no design porque ele é centrado no ser humano. Projetar coisas para atender às necessidades das pessoas é o que realmente me move! Depois da universidade, trabalhei para algumas empresas em diferentes áreas, como branding, imprensa e mídia online, desenvolvimento de aplicativos e UX (Experiência do Usuário).

Há pouco tempo voltei aos estudos e fiz um curso intensivo em design thinking. Também estou me dedicando a um MBA em gestão de projetos.

Você tem uma frase favorita?

“Eu não falhei. Apenas descobri 10 mil maneiras que não funcionam.” ― Thomas A. Edison

O que você gosta de fazer no seu tempo livre?

Nos finais de semana, viajo para regiões de montanha ou para o campo. Gosto de explorar lugares diferentes, fazer trilhas, aproveitar as belas cachoeiras que o Brasil tem de sobra. Também curto dar festas de aniversário surpresa para meus amigos!

Você gostaria de ser famoso por:

Eu gostaria de ser famoso por impactar um grande número de empresas sociais. Como tive a oportunidade de acelerar pequenas empresas em Ruanda, reconheço o importante papel que as startups e o empreendedorismo desempenham na sociedade. Meu sonho é apoiar e inspirar as pessoas para que cresçam e mantenham a chama sempre acesa.

Como você define o sucesso?

A estrada da vida é o que conta. Tudo bem se você não atingiu sua meta, mas sempre tenha em mente as lições que aprendeu com isso.

Quem é seu artista favorito?

Os favoritos vêm e vão. Nos últimos tempos, tenho curtido o trabalho do grafiteiro Eduardo Kobra, meu conterrâneo. Como artista de rua, ele tem um projeto chamado “Cores pela Liberdade”, em que pinta imensos murais com mensagens de paz e esperança. O Kobra começou a grafitar em São Paulo e hoje já assina trabalhos em cinco continentes, tendo sido reconhecido pelo Guinness World Record pelo maior grafite do mundo.

Para mim, sua obra não apenas traz cor às cidades cinzentas, mas também transmite mensagens importantes para um mundo melhor.

Qual foi a coisa mais importante que você aprendeu nos últimos cinco anos?

Empatia. É muito difícil entender o universo humano — é um processo de aprendizado contínuo.

Qual o seu talento oculto?

Toco cajón (instrumento de percussão de origem peruana) muito mal. Meus vizinhos ficam loucos sempre que começo!

Como você descreve a Criteo em três palavras?

Pessoas, diversidade e conhecimento.

O que você mais gosta na Criteo?

A colaboração entre equipes multifuncionais. Desde que ingressei na Criteo, tive a oportunidade de trabalhar com colegas de diferentes setores (Vendas, Estrategistas de Conta, Soluções Técnicas, Analytics, Marketing, Global Creative Services). Não importa que sua ideia seja totalmente maluca, sempre vai haver outras pessoas malucas que embarcam com você na sua aventura.

O que te atraiu para a Criteo no início? E de que forma a Criteo mudou desde então?

Eu achava que trabalhar em uma empresa global seria bom para meu desenvolvimento pessoal e me ajudaria a aprender mais sobre o marketing digital. Mais tarde, descobri que há muito mais conhecimento em jogo — e tenho sorte de fazer parte de uma empresa de tecnologia que é referência no mercado.

O que você ganha trabalhando na Criteo?

Conhecimento. Sobre o ecossistema de marketing digital, inteligência artificial, automação, escala. Além de todo esse conhecimento técnico, vejo como é desafiador fazer as coisas acontecerem em uma empresa global e como os processos são importantes para tudo dar certo.

Qual foi seu projeto favorito na Criteo?

Foi meu meu primeiro projeto, no Hackathon de 2017 — uma semana depois de ser contratado. Desenvolvemos uma ferramenta de vendas para simular metas de prospects e ficamos em 3º lugar no hub de Palo Alto!

Eu gosto da transparência na empresa. Todas as decisões importantes são comunicadas para orientar nossa maneira de trabalhar e como isso impactará nossa performance.

Qual é o seu momento de maior orgulho na Criteo?

A equipe brasileira foi nomeada a equipe Superstar em 2018. Tenho muito orgulho de fazer parte dessa equipe que, mesmo enfrentando algumas dificuldades por conta do mercado local, é capaz de se reinventar e superar todas as expectativas.

O que você espera para nosso setor?

Que os processos de design centrados no usuário possam ser implementados com mais frequência para criar soluções.

Na sua opinião, quais serão as três principais tendências no digital?  

Eu acho que os dados são um vasto mundo a ser explorado, e há inúmeras maneiras de usá-los que ainda não descobrimos. O certo é que, quanto mais informação, melhor. Só assim poderemos atender às necessidades e expectativas dos nossos clientes.

O design thinking é uma abordagem que busca resolver problemas de maneira colaborativa desenvolvendo a empatia com os stakeholders. Soluções que coloquem o usuário no centro de tudo têm mais chance de dar certo.

Toda iniciativa lean precisa estar embasada em propósitos claramente definidos e orientados à criação de valor para o cliente. Novos processos tornam lacunas de conhecimento explícitas, criando oportunidades para melhorar os serviços e a performance.

Qual sua opinião sobre a otimização e personalização da publicidade com base no uso de dados?

Os dados são importantes para gerar publicidade personalizada em escala. Quanto mais soubermos sobre os hábitos individuais, mais personalizados poderão ser os anúncios para cada usuário.

Quais são as vantagens competitivas das marcas que investem em campanhas com anúncios dinâmicos?

O machine learning permite otimizar conteúdo e layout em tempo real para que apenas elementos relevantes sejam usados nas campanhas. E isso é uma tremenda vantagem! Enquanto os robôs atuam, há um especialista sempre de olho no guia de marca para identificar as melhores combinações entre os criativos gerados — existe algo melhor que isso?

Quer saber mais sobre a Criteo? Visite nosso hub de cultura!