Monetização de inventário in-app para publishers web-first: três tendências que vêm com tudo

 

Equidade e transparência sempre foram fatores que pesaram na mudança para a tecnologia de header bidding, e esses conceitos agora também estão influenciando a estratégia de monetização in-app. A forma como os publishers executam a estratégia de ad stack e de monetização do inventário in-app está em fase de transformação.

Os publishers estão bem familiarizados com a abordagem padrão em cascata (waterfall), em que os bids são passados de uma fonte de demanda para outra, em sequência, na tentativa de encontrar o maior bidder para o espaço. Esse método comprovou finalmente ser ineficiente e opaco: uso excessivo de recursos e inventário não vendido.

A chegada do header bidding

A introdução desse método mais transparente de compra de espaço publicitário aumentou a concorrência saudável e deu aos publishers um entendimento mais claro sobre o valor do inventário. Essa tecnologia trouxe um nível de equidade que garante ao publisher obter o melhor preço para cada impressão, aumentando o rendimento e a receita. Como cada vez mais publishers se dedicam a desenvolver e suportar seus próprios apps, eles estão um passo à frente, pois o app bidding, assim como o header bidding, que veio antes, comprova ser o novo método de escolha.

Essa mudança para um formato de bid mais transparente e rentável também tem sido acelerada pelo crescimento do tráfego mobile, que prospera em velocidade e flexibilidade. Para muitos publishers web-first, o header bidding agora é a norma e tem provado aumentar as receitas tremendamente. Embora o crescimento do in-app bidding ainda seja relativamente novo, os publishers reconhecem que se trata de uma oportunidade. Veja como o in-app bidding ajuda o publisher a diversificar a demanda e a monetizar a receita no aplicativo com mais eficiência:

Experiência do usuário turbinada

O in-app bidding deverá melhorar a experiência do usuário quanto à velocidade e relevância do anúncio. Como a jornada mobile do usuário costuma ser mais fragmentada, nem sempre é fácil conseguir isso.

A capacidade de utilizar dados confiáveis que melhoram a relevância do anúncio, juntamente com apps leves e sem latências, será essencial para os publishers de apps. Otimizar a experiência do usuário será cada vez mais importante. Quanto aos publishers, será vital que se concentrem em desenvolver conteúdos criativos para encorajar o engajamento in-app.

Reputação do publisher preservada

O medo de críticas negativas às vezes assusta os publishers web-first em relação a mudar para o in-app. Os publishers são sensíveis a avaliações ruins porque isso pode impactar o ranking de seus apps nas lojas e manchar a reputação. Essa sensibilidade é subjacente ao desejo de criar uma experiência excepcional para o usuário.

A qualidade do anúncio pode ter um papel igualmente importante. Entender a audiência que se engaja com o app e exibir anúncios relevantes contribui para uma experiência positiva para o usuário e melhora a reputação do publisher. Com opções de SDKs de conexão direta, os publishers agora podem evitar latências e instabilidades. A performance do app permanece rápida, responsiva e pronta para capitalizar cada oportunidade de monetização.

Como evitar a perda de identidade

Para publishers web-first, o fim definitivo dos cookies de terceiros é só daqui a dois anos. Para muitos, isso poderá impactar fortemente a receita.

Na falta de uma solução padronizada e perfeita para todos, os publishers seguem com os planos de aproveitar ambientes confiáveis que não usam cookies, como o in-app. As soluções de App ID provaram ser fáceis de integrar, otimizar e garantir maior concorrência entre os anunciantes que fazem bids em inventários. A conformidade dos dados colocará mais pressão em relação ao in-app bidding por sua capacidade de melhorar as taxas de combinação ao reconhecer mais usuários em mais ambientes, permitindo que os publishers evitem a perda de identidade e obtenham uma parcela maior dos gastos.

Como o WetterOnline dobrou a receita no app

Diante dessas tendências que vêm impactando a forma como os publishers abordam o inventário in-app, compartilhamos a seguir o exemplo de sucesso do site WetterOnline.

O WetterOnline foi fundado há mais de 20 anos e, desde então, tornou-se um dos sites mais visitados da Alemanha. Como muitos publishers, a empresa reconheceu a mudança que precisava fazer para o espaço mobile e, assim, criou seu primeiro app mobile. Depois de conquistar usuários mobile em novos mercados, o WetterOnline queria alavancar o potencial de ganhos no app. A proposta era maximizar a receita por visita para gerar monetização sustentável. Buscando essa meta, a empresa implementou a solução Direct Bidder para App da Criteo. Como um publisher web-first, o WetterOnline entendeu o valor do app bidding e do impacto da receita para os negócios.

“A Criteo é um dos maiores compradores no ecossistema digital, e fez todo o sentido conectar diretamente o inventário dos nossos apps à imensa e diversificada demanda da empresa”, conta Christoph Brömling, Head de Vendas da WetterOnline. “Uma conexão direta otimiza nossa cadeia de supply e nos dá mais controle. E, em apenas alguns meses, mais do que dobramos a receita que ganhamos com a Criteo nos aplicativos.”

Saiba mais sobre como maximizar a receita no app aqui.