Janeiro 18, 2018
Compartilhar

Muitos desafios para o e-commerce e o marketing digital em 2018

 

Já faz quatro anos que publicamos nossa visão em relação ao e-commerce e ao marketing digital, com previsões e tendências relevantes para o ano seguinte. Para 2018, antecipamos as oito principais tendências que vemos como oportunidades e desafios extraordinários para marcas, varejistas e profissionais de marketing.

Grandes oportunidades de crescimento

2018 será marcado por oportunidades valiosas para publicidade por vídeo e voz. A tecnologia de vídeo atrairá investimentos crescentes, pois todos os grandes players, incluindo Facebook, YouTube, Instagram e Snapchat, estão priorizando esse formato de anúncio dentro de suas propriedades. Segundo uma recente pesquisa com 50 compradores de publicidade seniores realizada pela Cowen, 41% dos entrevistados consideram a plataforma de vídeo no Facebook o melhor local para lançar novas campanhas, em comparação com apenas 25% dos votos para TV.

A tecnologia de voz já está por trás de inúmeras transações de compras. Trata-se de uma tendência em ascensão, dada à crescente proliferação dos alto-falantes inteligentes e à acirrada competição entre a Amazon e o Google. Conforme um estudo realizado pelo RBC Capital Markets, a Amazon aumentará sua receita em US$ 10-11 bilhões até 2020, graças às vendas de dispositivos integrados à Alexa e também às compras ativadas por comandos de voz. Os alto-falantes inteligentes serão forte tendência. Esses dispositivos também serão progressivamente utilizados para marketing personalizado.

O desafio GDPR e as novas regulamentações

O Regulamento Europeu de Proteção de Dados, o GDPR (General Data Protection Regulation), entrará em vigor em 25 de maio de 2018. A maioria das empresas de tecnologia e marketing digital parece já ter tomado as medidas necessárias para se ajustar a essas novas regras, mas muitas marcas e varejistas ainda não estão totalmente preparados. Segundo o relatório “2017 Data Threat Report”, da Thales, dois entre cinco varejistas sofreram pelo menos um episódio de violação de dados no ano passado.

Muitos analistas também preveem um certo grau de “revolta” com relação à Amazon, ao Facebook e ao Google. Crescerá a necessidade de leis mais rigorosas para esses quase-monopólios tecnológicos.

Dados: a necessidade de colaborar e combinar informações

Nosso relatório de Insights da Forbes constata que a maioria das marcas e varejistas não vê vantagens em atuar dentro de “jardins murados” (walled gardens) para atender aos seus requisitos de dados. A maior parte vê limitações consideráveis à manutenção de informações dentro de ecossistemas fechados e se preocupa com os riscos inerentes à má utilização de dados e à violação de privacidade. Em 2018, uma das principais tendências será o crescente número de iniciativas de colaboração entre marcas, varejistas e empresas de tecnologia para reunir informações de identificação não pessoal e criar dados em escala.

Seguindo a tendência das grandes aquisições do varejo em 2017, lideradas por gigantes como Amazon, Walmart e Alibaba, esperamos mais iniciativas desse tipo em 2018, particularmente em martech (marketing e tecnologia) e redes sociais. Todos os grandes stakeholders estão considerando aquisições estratégicas para aumentar o impacto sobre os consumidores e também otimizar tecnologias de dados, análise e marketing digital.

De forma geral, este ano promete muitas inovações e mudanças em termos de investimentos em publicidade, consumo online, investimentos do varejo, parcerias de dados, aquisições e regulamentos.