O futuro flexível do trabalho

 

O espaço de trabalho vem passando por uma transformação radical em tempo real. O novo cenário mostra que, não importa o que aconteça no futuro, o trabalho e tudo relacionado a ele nunca mais serão os mesmos. Embora fruto da necessidade, a adoção em massa do trabalho remoto em muitos setores, como o nosso, demonstra que, como sociedade, também podemos ser mais produtivos, eficientes e empoderados trabalhando fora do escritório, algo que jamais havíamos imaginado.

A ascensão do trabalho remoto

A prática do trabalho remoto tem variado historicamente no mundo todo, mas é fascinante ver diferentes culturas agora adotarem o trabalho em casa, até mesmo onde essa prática ainda não era bem aceita. Por exemplo, a Fujitsu, empresa de tecnologia japonesa, anunciou recentemente que reduzirá o espaço de trabalho e permitirá que os funcionários trabalhem remotamente, ou a partir de escritórios satélites menores. Essa abordagem é muito moderna para uma empresa japonesa e sinaliza as transformações generalizadas que vêm por aí.

Na Criteo, a comunicação com nossas equipes tem sido contínua durante toda a pandemia. Mesmo assim, realizamos uma pesquisa com nossos funcionários para sabermos se suas preferências na forma de trabalhar mudaram nos últimos tempos. 91% de nossos 2.700 funcionários responderam à pesquisa, o que é uma taxa surpreendente, sinalizando que se trata de um assunto de interesse coletivo. 75% dos que responderam disseram que hoje desejam trabalhar de casa mais do que antes da COVID-19, e 93% desejam que nossa cultura de trabalho flexível seja ampliada quando a pandemia terminar. Esses aprendizados vão nos ajudar a criar o melhor ambiente de trabalho possível para todos.

Nossa prioridade continua a ser a segurança de nossos funcionários e de nossos clientes. É isso o que norteia todas as decisões que estamos tomando neste momento. Por esse motivo, todos os funcionários da Criteo, em todo o mundo, poderão trabalhar de casa até o final de 2020. Para aqueles que realmente não podem trabalhar de casa, reabriremos, parcialmente, alguns de nossos escritórios, com capacidade limitada e as medidas de segurança cabíveis.

Além disso, como ainda há muitas incertezas em relação à COVID-19, realizaremos todas as reuniões, internas e externas, online, e não presencialmente, para protegermos nossos funcionários, clientes e fornecedores. Sabemos que vários países, cidades e estados estão começando a reabrir e, embora tudo o que mais queremos é ver nossos colegas de trabalho, clientes e fornecedores ao vivo, precisamos garantir que todos continuem em segurança.

Apoio e empoderamento aos funcionários

A flexibilidade do trabalho remoto é bem vista por muitos, mas não é a situação ideal para todos. Alguns enfrentam desafios muito reais: espaço limitado ou adaptar o ambiente doméstico ao trabalho e aos cuidados com os filhos. Reconhecer esses desafios e apoiar os funcionários é crucial para qualquer empresa que pretenda expandir os planos de trabalho remoto. Conversamos continuamente com nossos funcionários a fim de otimizarmos nossas políticas e atendermos às diferentes necessidades.

Para muitos, conseguir separar casa e trabalho pode dificultar a mudança. Por isso, encorajamos equilíbrio na forma de trabalhar remotamente. Treinamos nossos gerentes de pessoal para estabelecermos expectativas claras: por exemplo, mesmo se eles enviarem emails à noite ou durante os finais de semana, pois é a hora que conseguem fazer isso, nem sempre suas equipes poderão responder naquele momento.

Dessa forma, nossos funcionários preservam o equilíbrio mental, emocional e físico, pois respeitamos o tempo de cada um para que possamos entregar o melhor serviço possível aos nossos clientes. Também redobramos os cuidados pessoais com os funcionários, oferecendo aconselhamento individual, recursos online para cuidar da saúde mental, sessões de meditação pelo Zoom, além de check-ins e discussões sobre desenvolvimento de carreira mais frequentes.

Ajudamos os profissionais de marketing a seguirem em frente

Além de fornecermos o melhor serviço possível aos clientes, continuamos a ajudar os profissionais de marketing, por meio de nossas análises e pesquisas exclusivas, a entenderem as mudanças no comportamento dos consumidores e as tendências de publicidade. A cada semana, nossas equipes monitoram e lançam as tendências de consumo mais recentes em vinte países. O objetivo é analisarmos o impacto econômico do coronavírus e o que isso significa tanto para os consumidores quanto para os profissionais de marketing. Fornecemos insights no nosso Criteo Product Insights Finder, uma ferramenta interativa que reúne em um só painel as últimas tendências em e-commerce.

Também lançamos recentemente uma pesquisa com mais de 15.000 consumidores em todo o mundo, perguntando como o coronavírus tem mudado seus estilos de vida e hábitos de compra. Compartilhamos esses insights no relatório Retomada 2020, criado para orientar os profissionais de marketing sobre o que é importante para os clientes neste momento e como adaptar as estratégias de publicidade até o fim do ano.

Olhando para o futuro

Quando planejamos estratégias tanto a curto quanto a longo prazo, o tema comum é flexibilidade. Precisamos ser flexíveis para nos adaptarmos às tendências em constante transformação, mas também para oferecermos flexibilidade às nossas equipes, que precisam disso para serem mais produtivas e manterem mente e corpo em equilíbrio. Assim que a pandemia acabar (que seja logo), poderemos ver nossos colegas de trabalho e clientes presencialmente. E estaremos mais fortes, por termos aprendido, com louvor, a trabalhar também de casa.

Enquanto isso, cuidem-se e só apareçam no Zoom!

Megan Clarken

Megan Clarken é CEO da Criteo. Anteriormente, Megan trabalhou na Nielsen, ocupando diferentes posições seniores na área comercial e de produto, entre as quais diretora comercial (CCO) da Nielsen Global Media, presidente do segmento Watch, que fornece serviços de mensuração de mídia, e presidente de Product Leadership. Megan também exerceu cargos de liderança sênior em grandes publishers e provedores de tecnologias online, como a Akamai Technologies e o site ninemsn na Austrália.