Março 7, 2018
Compartilhar

People behind the tech: Luana Matos, Diretora de Vendas LATAM, MMS

1 – Vamos começar do começo, de onde você é?

Eu nasci no Rio de Janeiro mas como passei minha adolescência e alguns anos mais em Brasília, brinco que tenho o coração “candango”.

 

2 – Como você começou sua carreira? O que você fez antes de começar na Criteo e o que a levou a chegar aqui?

Sou formada em Psicologia pela Universidade de Miami, na Flórida e tenho mestrado em Communications Management, Telecommunications and Internet pela University of Strathclyde, em Glasgow, na Escócia.

Dentro da Psicologia, sempre me interessei e me envolvi com pesquisa. Adorava analisar os dados e estatísticas das pesquisas, entender tendências, causas e efeitos e não cogitava clinicar. Com isso, quando me formei, fui chamada para trabalhar na Oracle vendendo banco de dados, CRM e ERP. Comecei na área de lead generation e depois fui para o time de Inside Sales Division LATAM, na Oracle. Foi lá que conheci o Ale Firmino, hoje MD LATAM Criteo.

Voltei para o Brasil e fui trabalhar na Brasil Telecom, em Brasília, que era a 4ª entrante no mercado de telefonia móvel na região. Eu era responsável por coordenar o Canal de Resellers – as revendedoras da BR Telecom e tinha o objetivo de capacitar e certificar 600 revendedores da região.

Apesar de sempre querer fazer uma movimentação para o mercado online, eu não me sentia 100% preparada. Foi quando me candidatei e consegui uma bolsa da Vodafone e Chevening para fazer o mestrado na Escócia e fiquei lá durante 1 ano.

Nessa minha segunda volta ao Brasil, fui trabalhar no Yahoo, que foi uma grande escola de mídia online para mim. Comecei na área de Parcerias de Publishers e depois fui gerenciar o time de Account Managers de Links Patrocinados, inteiramente dedicada a performance.

Sempre tive conversas com a Criteo e sempre admirei muito a empresa, pelo DNA de performance e por ser reconhecida como a melhor no que faz. Quando fiquei sabendo da oportunidade em Mid-Market, fiquei muito animada com o objetivo de crescer o mercado. Depois de 6 anos de Yahoo, eu decidi vir para cá.

 

3 – Como seu papel mudou desde que você começou?

Nos 3 primeiros anos, o foco era aumentar a nossa cobertura, a base de clientes, aumentar receita, relevância.

Agora, além do crescimento que é esperado, tem um trabalho de desenvolvimento dos clientes que já estão em casa, aumentar o foco em entender os desafios dos nossos clientes dentro do ecossistema de marketing.

 

4 – Qual é o objetivo da sua posição agora? Qual é seu principal desafio hoje?

Além de desenvolver o mercado LATAM, continuar desenvolvendo o time, garantindo que todos tenham oportunidade de atingir seu potencial máximo e dar visibilidade ao nosso trabalho.

 

5 – Como a Criteo ajudou a promover a sua carreira até onde você está hoje? Que tipos de oportunidades a Criteo apresentou e como você as aproveitou?

Apesar de ter trabalhado em outras multinacionais, na Criteo tive a oportunidade de liderar uma operação verdadeiramente “glocal”: uma operação focada nas demandas e oportunidades locais, mas com uma missão global. Isso fez com que eu ampliasse meu entendimento sobre os clientes, agências, parceiros, competidores, além do mercado internacional.

Além disso, tenho oportunidades recorrentes de aprender e me aproximar de algumas outras área como Business Intelligence, que é um grande aliado na nossa operação comercial. Também pude desenvolver novos líderes dentro do meu time e é muito gratificante ver o crescimento desses profissionais.

 

6 – Gerenciando diferentes países, qual é a maior diferença que você percebe? Quais as peculiaridades de cada cultura?

O nível de maturidade de cada mercado é muito diferente e temos aprendido bastante, ainda que à distância, com clientes e com nossa equipe.

 

7 – Onde você se vê a seguir?

Recebi recentemente a área de Mid-Market LATAM e me vejo expandindo os mercados que ainda estamos desenvolvendo.

 

8 – De quais projetos / realizações até o momento você sente mais orgulho?

Ter crescido a nossa participação no mercado brasileiro quando o mercado estava na contramão (economicamente) e o cenário não era tão favorável para as taxas de crescimento que tivemos.

 

9 – O que você mais gosta do escritório do Brasil? E qual o seu lugar favorito no escritório?

Gosto da nossa cultura e do senso de colaboração entre nossas equipes. Meu lugar preferido é o deck! Poder fazer uma reunião (e nossos happy hours!) olhando para o Parque do Ibirapuera e o Centro de São Paulo é muito gostoso.

 

10 – O que você gosta de fazer fora do trabalho?

Tento desconectar de todas as telas o máximo possível mas acabo me rendendo a filmes e séries. No momento, estou aprendendo a meditar e a correr; pretendo participar da minha primeira corrida esse ano.

 

11 – Se eu entrevistasse pessoas que trabalharam com você, que palavra elas usariam para descrever você?

Tive papéis diferentes nas empresas que passei… mas acho que uma palavra recorrente seria ética.

 

12 – Quando você abre seu navegador, qual é o primeiro site que acessa?

Todoist e o Tableau, onde vemos nossos números. Performance sempre!

 

13 – Por último, qual é o seu conselho para os recém-chegados ou pessoas que buscam construir uma trajetória de carreira semelhante a sua?

Ter uma curiosidade genuína para aprender novas coisas e dominar sua função atual. Interagir com o máximo de pessoas e áreas diferentes da sua dentro da empresa e no mercado. Perguntar-se todos os dias: eu fiz o meu melhor hoje? E uma coisa que me ajuda muito é definir objetivos pessoais a curto, médio e longo prazos.