Meet the Team: Sandra Moraes, Agency Partner

 

Por onde você esteve e o que fez antes de entrar para a Criteo?

Imediatamente antes de entrar na Criteo, eu atuava como diretora comercial na HookLogic, uma empresa de mídia nativa em varejistas que foi incorporada pela Criteo em 2016. Antes disso, trabalhei como Head das Indústrias de Autos e Entretenimento no Yahoo (agora Verizon), Diretora de Atendimento na Ogilvy, Account Manager na Microsoft e Account Executive no UOL.

Há quanto tempo você está na Criteo?

Em Maio farei 4 anos.

O que diferencia a Criteo das outras empresas onde você trabalhou?

A Criteo possui uma cultura genuinamente aberta à diversidade. Essa cultura permite que as pessoas sejam mais autênticas e produtivas, sem perder tempo com questões que tiram o foco no que realmente interessa, que são nossos clientes e como ajudá-los a atingir seus objetivos de negócios.

Você pode nos contar um pouco mais sobre o seu cargo atual?

Sou responsável por desenvolver ações que aumentem o volume de negócios gerados por agências de propaganda com a Criteo.

Quais são os fatores que mais gosta no seu trabalho?

Liberdade para desenvolver ações que farão diferença no mercado brasileiro, interação com pessoas de diferentes culturas e níveis hierárquicos,

De quais projetos você tem mais orgulho?

O projeto de certificação de profissionais de agências, sem dúvida, é o mais emblemático. Por uma questão de necessidade do mercado, começamos esse projeto no Brasil muito antes de outros países e, com isso, viramos referência quando a empresa decidiu pela criação de um projeto global de certificação de agências e profissionais.

A Criteo oferece oportunidades de evolução de carreira? Como você as aproveita?

Eu acredito toda empresa traz oportunidades de evolução para seus funcionários e o seu desenvolvimento depende muito de como você as enxerga e aproveita. As vezes um nicho de mercado pode ter um potencial de crescimento enorme e se você o dimensionar e provar domínio pode conseguir espaço para crescimento. E assim é na Criteo.

Quais três palavras você usaria para descrever a Criteo?

Posso usar quatro? Rsrs… Moderna, Diversa e Inclusiva, Resiliente.

O que você gosta de fazer em seu tempo livre? Qual é o seu talento secreto?

Temos um tempo livre um pouco escasso se pensarmos em tudo o que gostaríamos de fazer. Então, no meu tempo livre, procuro me dedicar à família e ter uma troca relevante com a minha filha e marido e tudo o que os envolve (escola, amigos, parentes, etc.)

Quais são alguns de seus interesses fora do trabalho?

Gosto muito de assuntos que me levem a ter mais empatia com outras pessoas. Leituras, trabalhos voluntários e outras ações que me ajudem a conhecer uma realidade diferente da minha, são meu interesse fora do trabalho.

Como a Criteo promove o equilíbrio dos funcionários entre a vida pessoal e a profissional?

Existem dois pilares que eu vejo aqui: a cultura promovida pela empresa por meio de seus gestores e as ações que a empresa promove para melhorar a qualidade de vida de seus funcionários. No caso dos gestores, existem treinamentos regulares no sentido de criar empatia a questões relacionadas às necessidades de cada indivíduo. E, para melhoria da qualidade de vida, temos um budget que é adicionado ao salário e que podemos usar para a atividade que acharmos melhor. Além disso, a Criteo disponibiliza aulas regulares de treinamento funcional, ginástica laboral, massagem, manicure, entre outras que promovem bem estar aos seus profissionais.

Qual foi o livro que mais lhe influenciou na sua carreira? E qual marcou a sua vida?

Minha carreira foi muito mais influenciada por exemplos de bons profissionais do que por um livros em si, mas o livro “A empresa na velocidade do pensamento”, que foi escrito em 1999 por Bill Gates, me influenciou bastante pois veio em um momento em que eu entrava no mercado de trabalho, já no meio digital, e me ajudou a conectar alguns pontos e a estruturar argumentos em conversas com clientes.

Você tem uma frase favorita?

Um dos melhores gestores que tive, tinha uma frase que eu incorporo para a vida, ele dizia que “o ótimo é inimigo do bom”. Pode parecer uma frase simplista ou de alguém que não busca a perfeição, mas para mim tem uma relação muito forte com uma capacidade de tirar as coisas do campo das ideias e agir. Trabalhando num mercado competitivo e com a economia enfraquecida como é o mercado brasileiro, se formos esperar o momento ideal para implementarmos um projeto, podemos perder oportunidades que farão diferença em curto e médio prazo.

Você daria algum conselho para uma pessoa buscando construir uma carreira similar a sua?

Acho que o principal conselho, que serve para qualquer carreira, é estar atento e aberto aos movimentos do mercado. A velocidade com que as mudanças acontecem não permite comodismos. Há 15 anos o modelo de negócios que é o core da Criteo ainda estava começando a ser criado e testado. De lá para cá, muita coisa aconteceu e nos próximos anos teremos mais mudanças significativas nesse mercado.