Privacy-by-Design Criteo: Como funciona a abordagem que garante privacidade de dados de consumidores e anunciantes

 

Em agosto de 2020 entrará em vigor a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) no Brasil. Baseada em outras legislações internacionais, ela tem como objetivo garantir a segurança e a privacidade de dados na relação entre usuários e empresas de serviços de tecnologia, buscando um equilíbrio entre a expectativa dos consumidores por experiências relevantes com as marcas e a necessidade que as marcas têm de informações para oferecer essas experiências.

Neste post nós vamos explicar a abordagem da Criteo sobre esse tema, não apenas para se adequar a essa legislação, mas para se tornar referência no mercado quando se trata de privacidade e uso de dados de usuários e anunciantes.

Privacidade é um dos pilares de atuação da Criteo e isso se reflete na forma como desenvolvemos nossos produtos e gerenciamos nosso negócio. Por isso, garantimos que as melhores práticas relativas à privacidade sejam usadas em todos as áreas de nosso negócio e, essa posição é responsabilidade do nosso Global Privacy Officer (GPO). Estelle Werth é a nossa GPO que, através de seu time de especialistas, trabalha para estabelecer uma cultura de preocupação com a privacidade e segurança de informações dos consumidores durante todo o processo de desenvolvimento de nossas ferramentas e serviços, desde a concepção até os inúmeros testes diários das várias plataformas. A essa abordagem compreensiva chamamos de Privacy-by-Design.

A abordagem Privacy-by-Design da Criteo coloca o consumidor no centro do processo. Ele deve ser informado de suas opções e ter facilidade para controlar sua própria experiência de navegação. Para isso, a Criteo implementa ferramentas de design amigável e descomplicadas que disponibilizam ao consumidor todas as informações necessárias para que ele possa personalizar sua experiência ao nível mais específico a sua disposição.

No entanto, o comportamento de navegação multiplataforma faz com que o perfil do consumidor seja replicado pelas várias formas de contato que as marcas disponibilizam. Imagine que se você acessa o site de uma marca e deixa seus dados, mas quando você acessa o mesmo site pelo seu celular ou através do aplicativo dessa marca, você tem seus dados coletados novamente, gerando duplicidades desnecessárias e inundando a Internet com dados dos consumidores. Essa ubiquidade de informações, operada dessa forma, é prejudicial e abre brechas para que as informações, que precisam ser preservadas, possam ser coletadas de forma fraudulenta pois é mais difícil manter a segurança de vários bancos separados ao mesmo tempo.

Por isso, a Criteo criou o Cross-Device. Com ele, o consumidor deixa de ter múltiplos perfis, um para cada aparelho utilizado, e passa a ter um perfil único que o identifica através de todos os devices. Isso faz com que seu comportamento de compra seja unificado coletando as informações de todos os canais que ele utiliza, em vez de se definir um comportamento por plataforma. No fim, com mais informações reunidas sobre o mesmo perfil, conseguimos garantir que as recomendações que disponibilizados sejam muito mais relevantes, otimizadas e no momento certo.

Mas como o Cross-Device consegue unificar e disponibilizar várias informações compiladas em uma única identificação? Esta é a mágica que só os especialistas da Criteo realizam. Através de tecnologias de criptografia, a Criteo gera um código (hash) para cada consumidor que não usa quaisquer informações sensíveis ou personalizadas, mas agrega diversas outras informações numa salada de números e letras únicas. Com apenas esse código, nossos anunciantes conseguem oferecer anúncios relevantes e amigáveis em qualquer plataforma.

Isso tudo com total transparência para o consumidor. Em nossa página de Políticas de Privacidade, o consumidor pode controlar suas opções de recebimento de anúncios Criteo simultaneamente em todas as plataformas. Estudos mostram que muitos consumidores não fazem a menor ideia da quantidade e profundidade dos dados que compartilham durante o uso de aparelhos mobile e plataformas conectadas à Internet. Por isso, acreditamos na informação e no empoderamento dos consumidores para que possam fazer escolhas conscientes e que sejam sempre informados em relação às suas experiências por todas as plataformas.

É por contas dessas e outras iniciativas inovadoras que a Criteo é líder no mercado de marketing digital e para manter essa posição é que nos esforçamos para manter a confiança absoluta no relacionamento entre consumidores e marcas que promovemos através de nossas ferramentas e serviços. Não conseguimos isso apenas incorporando os padrões impostos pelo mercado ou obedecendo os limites das legislações. Para sermos os melhores, nos colocamos o desafio de propor e implementar soluções ainda melhores do que os padrões de mercado, sempre colocando os consumidores no centro de nossas ações.

O Cross-Device e o Privacy-by-Design são frutos desse posicionamento. O consumidor tem o direito de saber e entender como e porque recebe cada um dos anúncios que entregamos e ter a opção de, quando quiser, não os receber. Por outro lado, quando marcas escolhem trabalhar com a Criteo, sabem que seus anúncios serão distribuídos para um público que se interessa pela oferta. Com essas duas pontas da cadeia satisfeitas, contribuímos para o crescimento sustentável, para a inovação e para a lealdade de marca, sem renunciar à privacidade no caminho.

Se para você a privacidade de seus consumidores e clientes é fundamental, entre em contato com a Criteo para conhecer como funcionam o Cross-Device e o Privacy-by-Design e como essas duas abordagens podem se transformar em atributos da sua marca e retorno para o seu investimento em marketing digital.

Manoella Fidalgo

Manoella mudou para São Paulo para fazer uma pós-graduação e nunca mais saiu. Além de escrever para o blog da Criteo Brasil, ela é responsável pelo Marketing da Criteo na América Latina. Gosta de pipoca, música e não come chocolate. Não necessariamente nessa ordem.